quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Filme: Meu Namorado É Um Zumbi


Hey! Ontem eu fui no shopping assistir Meu Namorado É Um Zumbi com minha amiga Ainoã Nogueira, do Diário de Uma Garota Antenada, e hoje vou fazer um post com alguns motivos para assistir o filme.

1- O filme é baseado em um livro:


O filme foi baseado no livro Sangue Quente, do escritor Isaac Marion. Eu ainda não li o livro, mas pretendo ler em breve e, quem sabe, fazer uma resenha aqui no blog.

2- Trilha sonora de fazer qualquer um suspirar:



Uma das melhores trilhas sonoras que ouvi ultimamente foi a deste filme. As músicas são todas de rock clássico e tem música de Guns N Roses, que é uma banda que gosto muito. A trilha sonora conta com músicas de  Guns ‘N Roses, Bob Dylan, Bruce Springsteen, Scorpions, entre outros.

3- Protagonistas incríveis (e muito lindos):



Nicholas Hoult e Teresa Palmer fazem os protagonistas R e Julie. Gente, esse é o zumbi mais gato que eu já vi em minha vida (mas eu nunca vi um zumbi! hahaha).  Eu fui a única que achou a Teresa parecida com a Kristen Stewart. 

4- Atende a todos os gostos:

Um dos elogios que o filme recebeu pela crítica foi esse. O filme não tem um único gênero, é um mix de tudo. Tem romance, ação, comédia... Na minha opinião, o filme está mais para comédia.

5- Moral do filme:


Todo mundo aqui já assistiu, leu ou pelo menos sabe a história de Romeu e Julieta, né? Bem, o casal do filme é parecido. A filha do caçador de zumbis se envolve com um zumbi. Um romance (quase) proibido. Na minha opinião, não tem muito romance no relacionamento dos dois. Após, comer o cérebro de Perry (ex-namorado de Julie) R sente uma espécie de admiração por ela, ou seja, R não se apaixonou por Julie, ele apenas absorveu os sentimentos de Julie. Mesmo assim, o filme tem uma moral: O amor vence tudo. Afinal, com o "romance" dos dois, o pai de Julie e os outros caçadores de zumbis descobriram que os mortos-vivos podem voltar a viver por meio do sentimento.

Bem, eu gostei muito do filme. Mas cada um tem sua opinião, não é?

Nenhum comentário:

Postar um comentário